Padrão de Beleza

É interessante observar a associação que existe entre ser magro e ser bonito. As pessoas estão muito preocupadas com a aparência e tão aceleradas… tão afoitas em fazer, produzir e agir que não estão dedicando tempo para dar uma pausa e olhar nos olhos enquanto conversam e perceber o colorido que existe dentro de cada um.

“Os olhos são a janela da alma (bem disse Edgar Allan Poe)
[..]são também as vitrines do coração (complementou Lidi Rubira)”

 

No trabalho com pacientes com transtornos alimentares tem um exemplo muito utilizado pela equipe de nutrição sobre o poder que a imagem tem sobre nós. Você ao se deparar com uma foto de um hambúrguer (por exemplo) provavelmente sentirá vontade de comê-lo (se estiver com fome então… nem se fale) afinal de contas, os ingredientes estão perfeitamente colocados um em cima do outro, com uma coloração vistosa, de encher os olhos… Você vai e compra, mas quando abre a caixinha vê que a imagem não está exatamente igual ao produto. De repente você se vê por um momento pensando que não era bem isso que você esperava, mas… Já que pagou, não vai jogar fora né.

Podemos fazer uma analogia com o corpo. Estamos vivendo um momento em que o corpo se tornou uma mercadoria. A busca por uma aparência perfeita e magra é um mercado muito lucrativo. Esse mercado abrange desde o creme para a pele, passa pelos alimentos que você escolhe para comer e vai até as academias que querem te ajudar a esculpir o corpo e “de quebra” te trazer saúde. Já discutimos um pouquinho sobre o que é saúde em outro post (veja aqui).

As vezes, no seu ponto de vista, a aparência de uma pessoa pode não estar dentro do seu critério de beleza. No entanto, na medida em que você se permite conhecê-la e enxergar o que está através dos olhos, você pode se surpreender e ter contato com uma beleza interior. Em outras palavras, julgar pela aparência não propicia um contato com a essência do ser humano. É no dia-a-dia, na atitude, no gesto, na lida diária que as pessoas vão revelando suas belezas.

A mensagem principal desse post é que fazer exercícios físicos para cuidar do corpo é importante. Porém, se o seu foco for única e exclusivamente o estético (atributos físicos, peso corporal, medidas e por aí vai…) sem integrar a mente, você estará se afastando da sua essência. Sua busca realmente será exaustiva e sua insatisfação cada vez maior.

O convite é refletir sobre o tempo dedicado para o exercício não apenas como uma ginástica de músculos, e sim aproveita-lo com uma oportunidade de integração de corpo + mente + essência.
Aos poucos vamos desenvolver mais a abordagem para conquistarmos juntos essa oportunidade tão especial.